Comprador

Segurança residencial: as novas tecnologias do mercado para garantir a sua proteção

Fotografia de prédio com mão segurando recorte de cadeado no centro

Há quem acredite que, em termos de segurança residencial, os condomínios são a melhor opção, seja por terem diversas unidades em um complexo fechado, pela altura ou pelo controle da entrada. Embora eles pareçam, de fato, mais protegidos, não é bem assim que acontece e você não estará totalmente livre de problemas simplesmente por viver em um.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, entre 2017 e 2018 houve um aumento de 56% no número de crimes aplicados contra prédios no estado, a maioria envolvendo assaltos em larga escala (conhecido como “arrastões”). Vale apontar que não necessariamente os delitos foram registrados contra empreendimentos de luxo ou situados em bairros nobres.

Esse é um cenário conhecido e já faz parte do dia a dia de todos, inclusive das construtoras e imobiliárias, que buscam investir e oferecer opções de segurança cada vez mais rigorosas e eficientes. Para isso, buscam tecnologias de ponta, lançadas a todo o tempo, visando melhorar cada vez mais a proteção aos moradores dos condomínios.

Conhecer e entender essas tecnologias é essencial para você, na hora de buscar um novo imóvel, compreender se ele é realmente seguro para sua família. Confira este artigo e descubra algumas ferramentas eficientes para sua proteção!

Biometria

Homem clicando em tela do computado e mostrando digital

Trata-se do uso de certas características para identificar alguém e permitir seu acesso a certos locais ou dados. Partindo do significado, biometria vem do latim (bio — vida e metria — medida), e está ligada aos fatores biométricos do ser humano, que são únicos.

A biometria já é uma forma de segurança utilizada há certo tempo, principalmente em prédios comerciais e bancos, para permitir somente a entrada de pessoas registradas nos conjuntos. A hotelaria também já tem a tecnologia como aliada, e ela se expande, agora, para os condomínios residenciais.

Podem ser avaliadas diversas características:

  • íris: obtida por infra-vermelho;
  • face: por traços, feições e marcas de expressão;
  • mãos: usada em bancos, analisa desde a dimensão dos dedos e da palma até as linhas marcadas na pele;
  • dedos: a mais comum, trabalha captando as linhas da impressão digital por um leitor biométrico;
  • veias: mais sofisticado, utiliza o volume das veias em relação à pele para avaliar a identidade.

Em condomínios, a biometria não só auxilia na segurança, mas também agiliza a entrada de moradores e facilita o controle por parte da portaria. Além disso, as tecnologias também permitem a integração entre sistemas de segurança residencial, o que permite registrar horários de entrada e saída, por exemplo, que podem ajudar em possíveis investigações e, em menor nível, nos dados de ponto dos funcionários.

Monitoramento móvel

Simbolo de Wi-fi

Uma tecnologia — hoje comum em casas — que pode ajudar o condomínio em situações de emergência é o monitoramento de câmeras móvel. Por meio dele é possível verificar as câmeras do condomínio utilizando smartphones, diretamente por aplicativos. Tudo em tempo real e de qualquer local com conexão à internet.

É uma boa alternativa para condomínios que contam com poucos funcionários responsáveis pela segurança, ou quando ainda não há um sistema de monitores que atenda a todas as necessidades do empreendimento.

Assim, o porteiro ou zelador pode, de onde estiver, verificar a câmera sempre que possível para evitar deixar pessoas ao portão sem atendimento ou até agir rapidamente em situações emergenciais

Portaria virtual

Ilustração de uma notebook com um cadeado na tela. Sobre um mapa mundi

Um dos serviços mais onerosos para um condomínio é o dos porteiros. Para tentar reduzi-lo, então, existem prédios que estão apostando nas portarias virtuais ou remotas. A ideia aqui é retirar a necessidade de um porteiro fixo e passar a segurança do condomínio para as mãos de empresas especializadas.

Basicamente, os agentes remotos podem abrir e fechar portões, analisar as câmeras 24 horas por dia e também atender visitantes. Entretanto, esse sistema ainda tem alguns problemas, principalmente em prédios de grande porte.

|Lançamentos fora da caixa: conheça as inovações tecnológicas que chegaram ao ramo de imóveis|

|Como a inteligência artificial modifica o mercado de imóveis hoje?|

|O novo mercado imobiliário focado no comportamento do jovem consumidor|

Isso porque para que ele seja utilizado em sua totalidade, são necessários alguns equipamentos de segurança, como câmeras específicas, sistemas eficientes de internet e telefonia, dispositivos de biometria e também que permitam acesso remoto aos portões.

Portanto, é importante ter em mente que, embora seja uma boa aposta para a segurança, você deve verificar se tudo está certo e se o sistema funciona bem. Caso o empreendimento seja de grande porte, essa atenção deve ser redobrada!

Botão de pânico

Botão vermelho com ponto de exclamação

O botão de pânico é uma boa alternativa para empreendimentos de grande porte, pois permite um acionamento rápido, por meio de alarme de segurança, da equipe responsável pela proteção do condomínio, de maneira remota.

Essa tecnologia, porém, pode ser falha em alguns casos. Isso porque para que o botão de pânico seja realmente eficaz é necessário ter uma boa visibilidade de todos os locais do prédio pela portaria, limitação das entradas possíveis e, claro, uma boa seguradora que agirá rapidamente ao notar o acionamento dele.

É funcional e é importante que você saiba se a tecnologia de fato está em funcionamento, mas não se mostra como algo imprescindível para a segurança residencial.

Fechaduras inteligentes

Porta entreaberta com fechadora eletrônica com senha

 

Do portão do prédio à porta de seu apartamento, as fechaduras são a parte principal da segurança. Por meio delas você pode regular a entrada de visitantes e moradores e também evitar que estranhos acessem o empreendimento.

As fechaduras inteligentes fazem com que essa segurança seja ainda maior, adicionando novas maneiras de identificar os moradores e evitando a entrada de pessoas não autorizadas no condomínio.

Existem diversos tipos: por biometria, por “pin” de identificação por aproximação, por senha em teclado, comandos de voz e até algumas que se conectam ao smartphone e avisam, por exemplo, se forem destrancadas sem a sua presença.

São investimentos altos, mas duráveis e eficientes para a segurança. Podem realmente ser vistas como um diferencial!

Proteja sua família!

família composta por pai, mãe e filho. Estão em um ambiente com caixas de mudança e brincam de levantar a criança

Embora as novas tecnologias auxiliem muito os moradores a evitar problemas maiores, elas não podem fazer tudo, e alguns cuidados devem ser tomados por parte daqueles que entram e saem do prédio para evitar invasão de domicílio, entre outros infortúnios. Veja algumas dicas:

  • ao chegar em casa, sempre verifique os carros atrás de você. Ao sentir que tem alguém seguindo o seu veículo, dê uma volta no quarteirão e, se possível, já acione a segurança do prédio;
  • evite esperar a resposta do porteiro para entrar no empreendimento. Caso ele não responda, buzine. Se ainda assim não houver resposta, tire o carro da entrada da garagem e volte a rodar pela quadra;
  • verifique a possibilidade de contratar um seguro residencial contra furtos dentro do apartamento. Assim, se houver algum problema de roubo a residência ou furto, você estará protegido e poderá reaver seus bens;
  • procure não emprestar sua chave para estranhos, pois sem sistemas de segurança mais eficientes, ela pode ser facilmente copiada;
  • avise a portaria sobre suas possíveis visitas com antecedência. Ofereça nomes e o horário de chegada, se possível;
  • não fale para terceiros sobre particularidades do condomínio, como detalhes sobre funcionários, entrada, saída e sistemas de segurança. Estas podem ser informações valiosas para criminosos.

Gostou desse conteúdo? Confira mais antigos como esse no blog do Agente Imóvel!

Segurança residencial: as novas tecnologias do mercado para garantir a sua proteção
Avalie esta postagem.