Construtora Mercado

Pay per use: construtoras investem em empreendimentos que oferecem serviços de hotel

camareira organizando roupa de cama

Com a vida acelerada da cidade grande, todos procuram praticidade para lidar com as necessidades básicas do dia a dia. Hoje, quem não oferece opções eficientes, com qualidade e rapidez, pode perder rapidamente as suas chances, pensando nisso, construtoras passam a investir em serviços pay per use focados nas necessidades do futuro morador

O primeiro ponto a ser considerado é que, para a maioria das pessoas, toda tarefa que exija uma janela de tempo livre para ser realizada, mesmo que seja somente um deslocamento, será colocada em segundo plano a não ser que esteja praticamente à mão.

Para facilitar, já existem construtoras que investem em condomínios com serviços que podem estar espalhados pelo empreendimento e trazem, além de modernidade, uma quantia extra para auxiliar no caixa mensal – uma boa ajuda para manter o condomínio com a gestão financeira em dia.

Quer saber mais sobre isso? Confira o artigo abaixo!

Afinal, o que é um condomínio pay per use?

O mercado imobiliário é um segmento que tem grandes inspirações vindas de exemplos internacionais, em sua maioria. Com o pay per use não é diferente. A ideia vem dos Estados Unidos, e significa algo como “pague para usar”.

Esse conceito trata-se de incluir no empreendimento funcionários que possam prestar serviços personalizados, que podem ir desde arrumação e governança (presentes em hotéis) até manicures, lavanderias e muitos outros.

No caso de um condomínio que aposta no pay per use, é necessário que os condôminos desembolsem uma taxa mensal adicional ao valor do condomínio, para que possam fazer uso de serviços específicos. É um investimento pela praticidade, que como mencionamos tem sido a grande prioridade dos moradores atualmente.

Como projetar um condomínio para aplicar o pay per use?

Quando a ideia é construir um empreendimento no qual serão aplicados alguns serviços na modalidade pay per use, é necessário já planejar todo o conceito antes de fechar a ideia do projeto, ou, ao menos, adicionar a maioria das primeiras intenções às plantas.

Esse cuidado é importante pois alguns serviços, como um salão de cabelereiro ou uma sala de videogames, por exemplo, precisarão de espaços específicos para serem adicionadas ao empreendimento. Caso essa metragem não esteja reservada no projeto, pode haver problemas na hora de cumprir o prometido em relação aos locais, pois há a possibilidade de faltar espaço livre para encaixar os itens que compõem os ambientes.

O mesmo vale, e ainda com mais cautela, para uma lavanderia, que precisará de um estudo aprofundado sobre o encanamento e as saídas de água do empreendimento todo, a fim de poder instalar as máquinas de lavar, entre outros equipamentos.

Contratação de terceirizados

O comum para opções pay per use é que sejam oferecidas por funcionários treinados e especializados. Muitas vezes será difícil encontrar alguém que queira, de fato, assumir um local do condomínio em um regime de franquia ou algo dessa espécie. Sendo assim, a contratação de empresas terceirizadas pode ser uma boa saída, além de, em certos casos, apresentar o melhor custo-benefício para o condomínio.

Conseguir a entrada de franquias conhecidas pode, sim, trazer um bom dinheiro para o empreendimento e chamar mais moradores, principalmente se levado em conta o valor que poderá ser pago pelo aluguel do espaço. Entretanto, para isso, deverá haver um cuidado ainda maior com a infraestrutura, pois empresas assim costumam exigir locais maiores e mais bem estabelecidos.

Procure ambos e estude os custos. Pense que, além disso, uma empresa maior pode demorar mais para acertar questões burocráticas e até mesmo atrasar o lançamento! A pesquisa nessa etapa é de extrema importância.

Possíveis serviços no regime pay per use

É crucial entender a diferença entre o “pague para usar” e a nova tendência de pequenos shoppings (malls) em alguns empreendimentos. Os malls realmente funcionam em regime de centros comerciais, com espaços para aluguel, praça de alimentação e lojas. O pay per use, por sua vez, se concentra mais em serviços específicos, muitas vezes ligados diretamente aos apartamentos, como o de camareiras, com arrumação e limpeza das unidades.

Entre os mais comuns, vale apontar o segmento de estética, com salões de beleza, espaços de massagem e depilação. Outros que figuram em posição de destaque quando o assunto é esse são aqueles relacionados aos cuidados automotivos. Muitas vezes é mais barato lavar o carro no próprio condomínio do que em um posto próximo.

Alguns desses serviços, no entanto, não ficam sob responsabilidade da construtora, e por isso precisam ter sua segurança sempre checada! É o caso, por exemplo, do passeador de cães ou até mesmo de professores de idiomas. Se não ocupam espaços específicos ou fazem parte da rotina do condomínio de alguma maneira, são totalmente alheios aos cuidados do empreendimento e de sua administração.

Vantagens de ter pay per use no condomínio

Apostar nas opções pagas pelo uso é uma ótima ideia para deixar seu empreendimento mais atrativo e, claro, cobrar uma taxa condominial um pouco maior pela comodidade. Quem vive no ritmo da cidade grande, principalmente, levará em conta esses detalhes na hora de escolher o próximo imóvel!

Dessa maneira, não só os anúncios ficarão mais atrativos, mas o empreendimento como um todo será um destaque no mercado imobiliário por trazer conceitos cada vez mais modernos, que seguem as tendências da vida cotidiana atual.

Além das claras vantagens relacionadas à arrecadação do empreendimento, os serviços são muito benéficos para os proprietários que desejam alugar suas unidades por temporada, pois por oferecerem as possibilidades extras (que podem, sim, ser utilizadas por terceiros na maioria das vezes) podem cobrar um aluguel um pouco mais alto pelo período de estadia.

Colocar os serviços pay per use como diferencial em sistemas como o AirBnB, por exemplo, também pode fazer com que a sua unidade seja melhor vista como opção para aluguel por temporada, pois a ideia de ter tudo à mão é atrativa na maioria dos casos.

Conclusão

Os serviços pay per use podem exigir um pouco mais de cuidado e planejamento no projeto do condomínio, e também gerar alguns custos que, de outro modo, não seriam necessários.

Entretanto, o resultado ainda fecha em um valor positivo, com maiores chances de visibilidade e destaque do empreendimento, sem falar nas inúmeras vantagens para os moradores, que poderão desfrutar de facilidades que vão além de um metrô próximo ou um centro comercial ao lado do condomínio, tudo sem sair da segurança de seu local de moradia!

Pay per use: construtoras investem em empreendimentos que oferecem serviços de hotel
Avalie esta postagem.