Temporada

Sustentabilidade e beleza natural nos parques curitibanos

No mesmo nível de beleza que as praias do litoral brasileiro, os parques de Curitiba são os grandes responsáveis pelo charme da cidade, que alia o desenvolvimento à conservação de suas áreas verdes de maneira invejável.

Atualmente, existem 30 parques na cidade que disponibilizam aos habitantes da Capital das Araucárias 51 metros quadrados de área verde por pessoa.

A conservação ambiental anda de mãos dadas com o desenvolvimento sustentável da cidade, que investe em ecologia. Por isso, a capital paranaense não deixar de atender às demandas e necessidade de investimentos em turismo, oferecendo aos visitantes diferentes possibilidades de entretenimento e lazer integrados aos parques.

Entre os mais populares da cidade estão o Jardim Botânico, Barigui, Tanguá e São Lourenço. Conheça melhor cada um deles!

O verde do Parque Tanguá é apenas uma demonstração das paisagens naturais encontradas em Curitiba | Foto: Viagens Mil.

Jardim Botânico

O ícone do Jardim Botânico é a estufa que abriga plantas características da Floresta Atlântica do Brasil. A estrutura da construção é metálica e segue o estilo art-noveau, inspirada em um palácio de cristal que existiu no século XIX em Londres.

No local, há ainda o Museu Botânico Municipal, composto por trilhas em um bosque de araucárias, lago, quadras de esportes e um velódromo.

Parque Barigui
Um dos maiores e mais frequentados parques de Curitiba, o Barigui dispõe de várias opções de lazer, servindo também durante a semana como ponto principal para caminhadas.

O parque recebe o nome de Barigui devido ao rio que o atravessa, e faz referência às pinhas que caem dos pinheiros do local. O nome é de origem indígena, e significa “rio do fruto espinhoso”.

Parque Tanguá
O Tanguá possui 235 mil metros quadrados, abriga dois lagos, um túnel artificial que pode ser visitado de barco ou a pé e uma grande reserva de áreas verdes.

Inaugurado em 1996, o parque se tornou um dos mais populares de Curitiba graças à sua beleza e rica estruturação.

Parque São Lourenço
Criado após o rompimento da represa São Lourenço, em 1970, o parque atrai diversos turistas e moradores.

Durante muito tempo, o local servia de abrigo para uma antiga fábrica de cola e hoje se transformou no Centro de Criatividade de Curitiba, espaço dedicado à criação e educação artística, incluindo uma biblioteca, área para exposições, auditório e sala de projeção.

Sustentabilidade e beleza natural nos parques curitibanos
Avalie esta postagem.