Comprador Financiamento

Comprar um imóvel pela segunda vez: será que chegou a hora?

Mini casa com laço de presente e uma mão segurando chaves ao lado

Se você já possui um imóvel próprio, talvez seja hora a de começar a pensar em um segundo

Comprar um imóvel é uma ação que exige diversas decisões do comprador. É necessário pesquisar, escolher a melhor opção, avaliar todos os quesitos e, depois de tudo isso, ainda lidar com as burocracias envolvidas na negociação do bem. Dependendo do caso, a aquisição de um imóvel pode durar meses até a transferência e liberação das chaves!

Por essa razão, além do alto investimento, muitas vezes os proprietários têm dúvidas em relação à compra de um segundo imóvel. É totalmente plausível, claro. Entretanto, se for bem planejada, a negociação pode ser muito vantajosa.

Quer entender mais sobre isso? Confira o artigo que preparamos e se livre das dúvidas!

Porque comprar um imóvel pela segunda vez?

Casa em uma cesta de compras

Embora cada indivíduo tenha razões particulares para comprar ou não um segundo imóvel, existem casos em que a negociação realmente pode trazer ganhos.

Apenas lembre-se que, assim como no caso de adquirir um imóvel para ter uma renda extra, esse bem irá gerar gastos regulares, ok? Portanto, planeje-se com cuidado antes da compra para que não haja inadimplência ou qualquer outro tipo de dívida ou prejuízo.

Veja alguns dos motivos mais comuns pelos quais vale a pena fazer a compra:

Renda extra

Investir em imóveis já é uma prática tradicional no mercado, e entre as diversas maneiras existentes de fazer isso, adquirir um imóvel é uma das mais comuns e seguras. Além disso, essa modalidade apresenta boas taxas de retorno na maioria das vezes — mas exige mais cuidado na escolha, pois fazer uma decisão certa poderá determinar totalmente as chances de ganho.

Busque entender, com simuladores de tendências e avaliações, quais são os imóveis com mais potencial, principalmente se a ideia for comprar para reformar e revender. No caso de comprar um imóvel para alugar, vale a pena estudar os valores cobrados em média na região e descobrir maneiras eficazes de valorizar o imóvel para, assim, poder aumentar o valor da taxa mensal e ampliar o rendimento.

Lazer

Comprar um imóvel para lazer é uma das opções que mais geram interesse na aquisição de um segundo bem. Seja no litoral, em uma cidade do interior ou até em outro estado ou país, ter disponível um local para passar alguns dias ou semanas é vantajoso, principalmente porque oferece conforto, privacidade e, é claro, reduz os custos com hospedagem.

Não só isso, caso tenha interesse em uma renda extra durante o momento em que não estiver usando o imóvel, vale a pena anunciá-lo como opção para aluguel por temporada. Assim, além de não deixá-lo desocupado durante muito tempo, você ainda pode faturar um bom dinheiro se souber como anunciar e quais as melhores épocas para isso.

Garantia de tranquilidade futura

É comum que, ao ter oportunidade e condições financeiras, pais busquem adquirir imóveis para colocar em nome de seus filhos, deixando-os assim mais amparados caso precisem de alguma ajuda no futuro, ou até mesmo utilizar o imóvel como fonte de rendimento.

|Lançamentos fora da caixa|

|O novo mercado imobiliário focado no comportamento do jovem consumidor|

Ainda que o filho ou filha seja criança, há casos em que imóveis são adquiridos pelos pais já com esse intuito, de trazer uma garantia de tranquilidade no futuro. Além disso, enquanto o imóvel não é utilizado pelos filhos, os eles podem fazer uso dele para diversos fins, dentre os quais garantir uma renda extra e investir, por exemplo, em uma capitalização para resgate dentro de alguns anos.

Qual a melhor maneira de pagar por um segundo imóvel?

Uma mão entregando chaves para um casal de um homem e uma mulher

Quando já se tem um imóvel, a aquisição do segundo pode ser parcialmente simplificada, pois as possibilidades de recursos disponíveis para pagamento do novo bem são maiores. Entretanto, é importante saber quais são as regras e os detalhes de cada forma de pagamento para não ter problemas.

Empréstimo com imóvel como garantia

O empréstimo com imóvel em garantia é, hoje, uma das modalidades mais vantajosas de obtenção de crédito. Isso porque ele oferece taxas de juros baixas e também permite que sejam garantidos valores maiores na hora de fechar o contrato. Esse tipo de concessão de crédito também é conhecido como home equity ou refinanciamento.

Por meio dele é possível obter quantias que chegam a 60% do valor do bem, o que pode ser muito alto. Ou seja, essa opção é vantajosa para financiar um imóvel com mais facilidade para quem já é proprietário de outro. Entretanto, apesar de oferecer possibilidades maiores de obtenção de crédito, essa modalidade de empréstimo é uma das mais burocráticas devido à grande quantidade de análises necessárias.

Ademais, só é necessário que o solicitante seja o proprietário do imóvel a ser utilizado como garantia, o que não é um problema se você mesmo irá comprar o seu segundo imóvel, certo?

Isso é hipoteca?

Existe diferença entre o empréstimo com imóvel como garantia e a hipoteca, que na verdade nem é uma modalidade de obtenção de crédito. A principal distinção fica por conta da relação entre o solicitante do empréstimo e a instituição concedente.

No caso da hipoteca, o imóvel continua no nome do proprietário após a concessão da quantia solicitada, enquanto no home equity acontece a chamada alienação fiduciária, que é a transferência de propriedade para a instituição até o término do contrato.

Financiamento

Uma maquete de casa atrás de torres de moedas

Uma das maiores dúvidas nesse caso é: pode-se financiar dois imóveis ao mesmo tempo? Em suma, sim, mas existem algumas condições.

Financiar um imóvel quando já se tem outro coloca você em um patamar diferente para as instituições de concessão de crédito. O principal fator aqui é a questão do comprometimento da renda.

Suponha que você está financiando um imóvel atualmente, ainda que falte pouco para quitá-lo, e ele toma 25% de sua renda mensal por parcela. Caso o próximo bem que você deseja adquirir, em um financiamento tomar mais de 5%, o crédito não será concedido. Isso porque, por determinação legal, você só pode comprometer 30% de sua renda com empréstimos de qualquer tipo.

|SIMULADOR DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS ONLINE GRATUITO|

Outro detalhe são as linhas de financiamento escolhidas, que podem se chocar. Um exemplo claro é o Minha Casa Minha Vida, focado em pessoas que ainda não possuem um imóvel. Basicamente, se você possui um financiamento, esteja ele quitado ou não, você não poderá utilizar o financiamento pelo programa.

Uso do FGTS no segundo imóvel

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço pode, sim, ser utilizado para comprar um segundo imóvel. Porém, existem muitas condições limitantes nas quais você deve se encaixar se quiser utilizá-lo para esse fim. São elas:

  • O imóvel já quitado ou em financiamento não pode estar na mesma cidade em que o proprietário trabalha e/ou reside. Mesmo que o bem faça fronteira com esse local em questão, o FGTS não pode ser usado;
  • Pode ser usado se, em uma situação na qual o imóvel for dividido, o proprietário tenha 40% ou menos do bem em seu nome, desde que isso esteja explícito na matrícula;
  • Se o proprietário tiver somente um terreno, pode usar o FGTS para construir um imóvel ali;
  • No caso de o proprietário ter adquirido o primeiro imóvel quando casado, desde que em regime de separação total de bens, poderá utilizar o benefício para comprar um imóvel. Porém, tudo deve constar na matrícula, com as devidas porcentagens de cada um.

Gostou do artigo? Cliquei aqui para conferir mais conteúdos do blog Agente Imóvel voltados para o comprador de imóveis!

Comprar um imóvel pela segunda vez: será que chegou a hora?
Avalie esta postagem.